OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 3,319 Arapiraca, 20ºC Parcialmente nublado

Geral / Clevânio Henrique

Quem é Clevânio Henrique? Clevânio Henrique - Radialista, coordenador de esportes da rádio 96,9 FM Arapiraca, locutor esportivo, repórter e apresentador, iniciou no rádio em 1990 na Rádio Correio do Sertão em Santana do Ipanema.
25/05/2017 12:01:52
Organização prevê 1 milhão de novos desempregados em 2017
Número de desempregados na América Latina pode subir para 26 milhões em 2017 / Foto: Agência Brasil

 A Organização Internacional do Trabalho (OIT) afirmou que cerca de um milhão de pessoas ficarão sem emprego durante 2017 na América Latina e no Caribe, o que pode elevar para mais de 26 milhões o número de desempregados na região.

As previsões da OIT indicam que a taxa de desemprego na região latino-americana poderia aumentar de 8,1% a 8,4%, devido ao débil crescimento projetado para as economias da região. A informação é da Agência EFE.

"São as taxas mais altas da última década", destacou ontem (25) o diretor da OIT para América Latina e Caribe, José Manuel Salazar.

Salazar comentou que o crescimento de 1,1% calculado pela Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal) para a região "não será suficiente para mudar o rumo das tendências negativas no mercado de trabalho".

"Depois de um abrupto aumento na média regional do desemprego em 2016, se prevê que 2017 termine com um novo aumento", observou.

"À medida que vai transcorrendo o ano, os indicadores e prognósticos confirmam que a situação trabalhista está se tornando mais preocupante", acrescentou.

Salazar ressaltou que, ainda que o comportamento dos países seja heterogêneo e em alguns inclusive possa diminuir a taxa de desocupação, a média regional reflete uma realidade em que "em 2016 houve aumentos na taxa de desemprego em 15 dos 21 países onde se tem dados".

O diretor regional da OIT alertou ainda que o aumento do desemprego pode acarretar um novo crescimento do trabalho informal, situação de 134 milhões de latino-americanos, além de quedas nos salários e um aumento do trabalho por conta própria.

Salazar destacou também a necessidade de "ligar novos motores de crescimento" para enfrentar, com novas políticas, os "múltiplos desafios apresentados por este cenário para os países".

"O mau desempenho nos mercados de trabalho dos últimos anos não poderá ser revertido de maneira fundamental sem grandes esforços em matéria de desenvolvimento produtivo, inovação e talento humano", concluiu Salazar.

 

 

 

Fonte: Agência Brasil


Link da página:
O portal Diário Arapiraca não se responsabiliza pelos conteúdos publicados nos blogs dos seus colaboradores.

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Clevânio Henrique