OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 3,319 Arapiraca, 22ºC Tempo nublado

Cotidiano / Davi Salsa

Quem é Davi Salsa? Graduado em Comunicação Social pela UFAL e bacharel em Letras pela UNEAL. Ganhador dos prêmios, Banco do Brasil de Jornalismo em 2002 e Prêmio Mário Pedrosa de Jornalismo em 2009. Hoje é assessor de comunicação na cidade Arapiraca.
24/06/2017 14:17:01
MPE vai pedir folha salarial e lotação de servidores à Prefeitura de Arapiraca
/ Foto:

 A pedido do Núcleo Regional do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Alagoas (Sinteal), o Ministério Público Estadual (MPE) deve solicitar, nos próximos dias, à Prefeitura de Arapiraca, a folha salarial e a lotação completa dos servidores da rede municipal de ensino.

Segundo revelou o presidente do Sinteal/Agreste, André Luiz da Silva, no encontro que manteve, neste fim de semana, com representantes do MPE, em Arapiraca, foi garantido que será encaminhado o pedido para que a Secretaria Municipal de Educação apresente, também, a relação nominal de cada servidor e os respectivos salários.

"Com o apoio do Ministério Público, acreditamos que haja um avanço nas negociações com a prefeitura, porque a nossa categoria está há quatro meses lutando pelo reajuste salarial previsto em lei", disse André Luiz.

 Por conta do impasse, a categoria decidiu entrar em greve, que já dura mais de 40 dias, sendo a mais demorada da história de Arapiraca.

Os trabalhadores de Educação resolveram paralisar suas atividades para cobrar reajuste salarial de 7,64%, na data-base que venceu em abril deste ano.

Professores e prefeitura estão numa queda-de-braço, e os alunos correm risco de perder o ano letivo, que deveria ser iniciado em fevereiro, mas só começou em meados de março e, por conta da greve, as aulas foram paralisadas no início do mês de maio.

A prefeitura diz que não tem condições de atender às demandas reivindicadas, alegando que está no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Na última reunião com a categoria foi oferecida uma proposta de 2,33% para ser incorporado ao salário somente no mês de setembro.

Os educadores rejeitaram a proposta e decidiram manter a greve. Há dez dias, o juiz Alcides Gusmão não acatou o pedido de Tutela Antecipada da prefeitura e a greve continua.

Além do reajuste salarial, os professores reivindicam merenda de boa qualidade e melhoria na estrutura física das escolas.


Link da página:
O portal Diário Arapiraca não se responsabiliza pelos conteúdos publicados nos blogs dos seus colaboradores.

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Davi Salsa