OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 3,776 Arapiraca, 30ºC Parcialmente nublado

Editorias

11/01/2019 12:47
Arapiraca
População é contra volta da Micaraca por medo da violência: “vou rezar para não ter"
Ouvintes da Rádio 96 falaram em derramamento de sangue; familiares chorando e sofrendo no cemitério e na UE; e número de policiais insuficiente
Micaraca aconteceu entre 1992 e 2004 / Foto: Reprodução
Redação

 Em Arapiraca o assunto mais comentado da semana foi, sem dúvida, o retorno da Micaraca. O que acontece é que na verdade não se trata daquela folia de anos atrás, organizada pelo poder público municipal com a Liga dos Blocos de Arapiraca (LBA), mas de uma festa privada idealizada pelo Jessé Junior Santos, 40 anos, fundador da União dos Blocos de Arapiraca (UBA).

Ele, inclusive, já deixou claro que o nome Micaraca não tem dono e é de domínio público. Jessé disse estar surpreso com a repercussão e força do nome. O que acontece é que o assunto viralizou e em todos os cantos de Arapiraca, só se comenta isso, negativamente ou não.

Levantado no programa Show de Notícias da Rádio 96 FM Arapiraca, o assuntou gerou opiniões diversas, em sua maioria expostas através do WhastApp da emissora:

“Acho desnecessário chamar um evento de um dia só de Micaraca. Micaraca eram 4 dias, com vários blocos e várias bandas renomadas, isso para mim é propaganda enganosa, isso sim!”

Os mais empolgados, ligaram para a rádio ansiosos, querendo saber onde o evento seria realizado, prontamente uma ouvinte respondeu:

“Não sei em que local vai começar a Micaraca, mas sei onde vai terminar. No cemitério. Na UE. Com muitas famílias chorando e sofrendo. Arapiraca não tem políciasuficiente para se dividir entre bairros, delegacia e Micaraca. É uma pena que Arapiraca ao invés de progredir está e vai ainda mais regredir”, escreveu uma pessoa identificada como Cris, do residencial Nossa Senhora Aparecida.

Apesar de já contar com atrações nacionais confirmadas e divulgar o valor do ingresso, conforme anunciado pelo Diário Arapiraca, a Rose Rackelly considera essa ideia absurda.

“Querem mesmo derramamento de sangue em Arapiraca? Se um showzinho que fazem acontece violência, imagina se voltar a Micaraca. Os tempos de hoje não são como antigamente não. Eu vou rezar para não ter”, afirmou.

Questionado sobre a segurança, Jessé garantiu que organizou um evento ano passado e não foi registrado nenhum empurrão. “Foi um sucesso, recebemos 20 mil pessoas e Arapiraca confirmou seu potencial para o turismo de eventos”, falou.

Ele ainda disse confiar que ninguém vai para brigar, mas para se divertir. “De qualquer forma, a segurança será 100% além


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Arapiraca