OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 3,174 Arapiraca, 28ºC Tempo nublado

Editorias

19/03/2017 20:45
Esporte
3 Pontos: Jefferson, do Bauru, bate "gêmeo" Marquinhos, do Fla, e brinca: "Cara boa pinta"
Atleta do time paulista marca 19 vezes e é campeão. Rubro-negro faz só 4 cestas de três na final. Tyrone bate Palácios, do Vasco, leva "Habilidades" e tira onda. Murer e Braz protagonizam momento engraçado
/ Foto: Globo Esporte

Cara de um, focinho do outro". A semelhança entre os amigos Marquinhos, do Flamengo, e Jefferson, do Bauru, ambos de 2,07m, chamou a atenção de jornalistas, jogadores e de quem passava pelos treinamentos no Ginásio do Ibirapuera e pelo hotel onde ficaram hospedados os esportistas durante a semana que antecedeu o Jogo das Estrelas deste domingo, em São Paulo. Era impossível não notar como os dois são parecidos e, é claro, houve muitas piadas sobre o fato. Mas, no Torneio de 3 Pontos, os "gêmeos" tiveram que se enfrentar na decisão. Depois, eles trocaram as camisas de Bauru e Flamengo para ver seriam identificados corretamente. O atleta do time paulista levou a melhor de lavada, falou sobre a comparação e ainda revelou uma promessa dos dois.

- É uma brincadeira que não vem de hoje. O pessoal fala do nosso corpinho, os dois tem uma bundinha avantajada. Os caras sacaneiam mesmo, mas é coisa de coração, carinho. Pelo menos é um cara boa pinta (risos). Promessa é promessa. Fizemos a aposta, ele disse que vai tirar a barba. Quem perdesse tinha que tirar a barba. Os dois vieram iguais, estão sacaneando bastante a gente. Mas tenho um orgulho imenso de brincar com meu amigo, meu irmão Marquinhos, um jogador de alto nível, todo mundo sabe a história dele. Então, fico contente de chegar na final com ele, só engrandece meu título - falou Jefferson.
 

Se foi bem na primeira disputa, liderando com 17 cestas de três convertidas, o rubro-negro Marquinhos não conseguiu demonstrar a mesma mira afiada na grande decisão. Jefferson empatou com Deryk com 16 chutes longos marcados. No tira-teima, com menos tempo para arremessar, ele venceu por 5 a 4 e encontrou o "irmão gêmeo" na briga pelo caneco. O atleta do líder do NBB, o Flamengo, fez somente quatro cestas, enquanto o jogador do Bauru brilhou marcando 19 vezes, sacramentando a vitória. Marquinhos, apesar do revés, se divertiu ao ser comparado com Jefferson.

- Pior que apostei com ele. Perdi a final ainda para ele. E vou ter que raspar a barba. Eu acho que não vou cumprir não. Virou meme mesmo. Todo mundo no hotel, o Claudão, técnico que trabalhei no Pinheiros, veio brincar com isso. Trocamos as camisetas e tiramos uma foto ao contrário para ver se o pessoal identifica - brincou Marquinhos.

Desde que entrou em quadra para disputar o Desafio de Habilidades, Tyrone Curnell, do Mogi das Cruzes, ganhou o carinho da torcida. Apoiado pelo público, o carismático americano se deu bem e venceu a final da competição contra o argentino Damian Palácios, do Vasco da Gama. Depois de receber o cheque de R$ 4 mil e o troféu pelo triunfo, ele prometeu um agrado à esposa e tirou onda com seu adversário pelo vice.

- Olha, acho que vou levar minha esposa para uma janta muito boa e, depois, quem sabe, uma balada, né? Vocês sabem (risos)... (Palácios?) quem sabe não levo ele para uma lanchonete, para comer um sanduíche, acho que ele gosta (risos) - brincou o americano, que manda bem também no português.

Palácios começou bem. No 1º duelo, bateu Betinho, um dos cestinhas do NBB, do Campo Mourão. Os dois foram parelhos, erraram o arremesso de três, mas o hermano acertou na segunda chance e avançou. Em seguida, o público foi à loucura quando Tyrone, do Mogi, derrotou Dawkins, do Vitória, e festejou demais. O gringo começou bem atrás, mas converteu de três tirando o chute longo do rival. Palácios voltou à quadra para encarar Fúlvio, do Brasília. E ele quase colocou tudo a perder. Quando foi pegar a bola, se atrapalhou, e ela ficou para trás. O adversário aproveitou para fazer a bandeja, e o cruz-maltino teve que correr atras do prejuízo, mas, na bola de três, com o erro do brasiliense, Palácios confirmou a vaga na final contra Tyron, que derrotou Davi Rossetto na semi.

No duelo decisivo, Palácios estava bem tranquilo, na frente, mas errou o chute de três, sua especialidade, e deu a chance a Tyrone. O americano também falhou. O vascaíno tentou mais uma, e a bola não caiu. Mas o jogador do Mogi não perdoou: converteu a cesta de três, tirou onda e foi ovacionado pelo público.

Em um breve intervalo para os atletas, os esportistas Fabiana Murer e Thiago Braz, ouro no salto com vara na Olimpíada do Rio 2016, se enfrentaram em um Desafio de Habilidades um tanto quanto desastrado. Eles empacaram na bola de três, mas o garoto acabou convertendo e derrotou sua rival, arrancando muitos risos do público do Ibirapuera. Fabiana fez o público se divertir com seus dribles um tanto quanto esquisitos.

 

Fonte: GloboEsporte
 

 


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Esporte