OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 3,252 Arapiraca, 21ºC Parcialmente nublado

Editorias

13/11/2017 07:31
Esporte
Abel, Roger? Inter foca em acesso antes de traçar perfil de técnico para 2018
Após apostas, Colorado deve optar por técnico com maior experiência em grandes clubes para 2018; nomes de Abel Braga e Roger Machado ganham força nos bastidores
/ Foto: GloboEsporte

 Após a demissão de Guto Ferreira, o auxiliar Odair Hellmann recebeu a missão de conduzir o Inter como interino nos três últimos duelos pela Série B, para enfim garantir o retorno à elite nacional. O acesso, objetivo máximo desde o início da temporada, ganha ainda mais atenção em meio à turbulência recente. Mas o clube já começa a planejar seu próximo técnico para 2018, com alguns indicativos de profissionais e perfis de comando preferidos.
Até o momento não há uma definição mais efetiva sobre um treinador específico ou estilo de trabalho – ao menos publicamente. Nomes como o de Abel Braga e o de Roger Machado ganham força junto à diretoria e são os mais comentados nos bastidores do clube, cada um com sua característica distinta.

 

Há uma predileção inicial por um nome mais "cascudo", com boa liderança de vestiário e distante do perfil de nomes emergentes que norteou a escolha por Antônio Carlos Zago e Guto Ferreira. A relação com Abel Braga é quase instantânea. O técnico campeão da Libertadores e do Mundial pelo clube em 2006 conta com prestígio de sobra com a torcida e ainda nutre um relacionamento pessoal muito próximo com o presidente Marcelo Medeiros e o vice de futebol Roberto Melo.

O trio trabalhou junto em 2014, na última passagem do treinador pelo clube. Abelão, aliás, foi o último técnico a completar uma temporada no clube e era o nome escolhido por Medeiros, então candidato à presidência, para 2015. Mas Vitorio Piffero venceu a eleição e rodou por diversos nomes – inclusive o de Abel, que não foi sua primeira alternativa – até fechar com Diego Aguirre.

Como é de praxe na prática do treinador, qualquer conversa sobre sua contratação só será iniciada ao término do Brasileirão. O técnico ainda tem mais um ano de contrato com o Fluminense, o que demanda uma negociação mais alongada para uma eventual liberação.

Em paralelo, há outra frente de pensamento, com foco maior na metodologia de treinamentos e na fomentação de uma cultura tática no clube. Neste cenário, o nome de Roger Machado ganha força, até por ter tempo para iniciar um trabalho desde o começo da temporada. Após deixar o Atlético-MG, o treinador está livre no mercado. Jair Ventura, do Botafogo, é outro nome que agrada e se encaixa neste perfil.

 

 

 

 

 

 

Fonte: GloboEsporte 

 

 

 



Abel Braga já trabalhou com a atual diretoria no Inter, em 2014 (Foto: Alexandre Lops/Internacional)
Para manter o foco nas últimas rodadas da Série B antes de abrir qualquer tratativa, os dirigentes evitam tecer comentários sobre nomes ou perfis de treinador. A diretoria só irá iniciar as investidas no mercado com a vaga na Série A assegurada. Vice-líder com 64 pontos, o Inter precisa apenas de um empate nas próximas três rodadas para sacramentar o acesso.
– Nesse momento, falar sobre estilo e perfil para 2018 não é o melhor. Temos que pensar no Oeste, no que temos que fazer para vencer. E além de garantir a classificação, buscar o título. Temos que mudar. A forma como estamos jogando não é suficiente. O Odair, quando saiu o Zago, contra o Palmeiras, naquela partida da Copa do Brasil, foi muito bem. Depois do campeonato vamos pensar no treinador para o ano que vem – afirma o vice de futebol Roberto Melo.

Com o interino Odair Hellmann no comando,o Inter faz um último treino em Porto Alegre nesta segunda-feira, quando embarca rumo a Barueri. A um ponto do acesso, o Colorado encara o Oeste na terça-feira, às 20h30, na Arena Barueri, pela 36ª rodada da Série B.


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Esporte