OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-8225-0863 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 4,082 Arapiraca, 20ºC Parcialmente nublado

Notícias

11/09/2019 08:38
Brasil
Funcionários dos Correios entram em greve por tempo indeterminado
Em Alagoas a assessoria de comunicação disse que a empresa vai trabalhar para que tudo funcione regularmente, mas depende da adesão ao movimento
Funcionários dos Correios entram em greve por tempo indeterminado / Foto: Reprodução
Laís Pita

Sindicatos que representam os funcionários dos Correios decidiram em assembleias pelo país por iniciar greve nessa terça-feira (10) a partir das 22h, inclusive em Alagoas. O movimento será por tempo indeterminado e todos os serviços dos Correios serão afetados. A categoria prega que o objetivo é defender os direitos conquistados em anos de lutas, os salários, os empregos, a estatal pública e o sustento da família.

Os trabalhadores dos Correios protestam contra a proposta de reajuste salarial oferecida pela empresa, de 0,8% – menor que os 3,1% da inflação acumulada em 12 meses pelo Índice de Preços ao Consumidor (INPC). Entre pontos que a categoria reivindica, estão a exclusão do vale cultura, a redução do adicional de férias de 70% para 33% e o aumento da mensalidade do convênio médico e da co-participação em tratamentos de saúde. A exclusão dos pais de planos de saúde também é um ponto sensível na negociação.

Os trabalhadores e a estatal estavam desde julho negociando, com mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST), novo acordo coletivo para a categoria. A empresa, no entanto, não aceitou os termos indicados. “A direção da ECT e o governo querem reduzir radicalmente salários e benefícios para diminuir custos e privatizar os Correios. Entregar o setor postal a empresários loucos por lucro. Para manter nosso acordo coletivo, repor as perdas aos salários e manter os empregos vamos ter que lutar”, informou em nota a Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios (Findect).

O acordo coletivo da categoria ficou vigente até o início de agosto. Antes de expirar, durante a audiência no TST, as duas partes concordaram em prorrogá-lo até 31 de agosto, enquanto as negociações andavam. Durante esse período de conversas, os sindicatos se comprometeram a não iniciar greve. No entanto, o novo prazo chegou e uma solução ainda estava pendente. Os Correios não quiseram prolongar por mais um mês o acordo, como propôs a Justiça do Trabalho, e, com isso, os trabalhadores voltaram a se organizar para uma paralisação.

Por meio de nota, a assessoria de comunicação da empresa em Alagoas, disse que os Correios participaram  participaram de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores, quando foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões. Mas as federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso na empresa.

"No momento, o principal compromisso da direção dos Correios é conferir à sociedade uma empresa sustentável. Por isso, a estatal conta com os empregados no trabalho de recuperação financeira da empresa e no atendimento à população", finaliza a nota.

Ainda de acordo com a assessoria, os Correios estão adotando medidas já planejadas para garantir que as agências funcionem regularmente, bem como as atividades de distribuição de cartas e encomendas. "Vamos trabalhar para que tudo funcione regularmente, mas ainda não podemos precisar, depende da adesão ao movimento", esclareceu os Correios ao Diário Arapiraca.

 

 

 

 


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Brasil