OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 3,897 Arapiraca, 21ºC Parcialmente nublado

Notícias

05/05/2018 17:30
Curiosidades
Ronco é uma das maiores causas de divórcio, aponta pesquisa
O ronco atinge de 40% a 60% da população adulta e muitos não sabem que sofrem desse distúrbio e, por isso, muitas vezes são levadas ao consultório pelo cônjuge.
/ Foto: Reprodução

 Ter um companheiro que ronca pode atrapalhar a noite de sono de todos que estão ao redor e inclusive ser causa de divórcio! Foi o que mostrou um estudo da Universidade da Califórnia-Berkeley, nos Estados Unidos.

Segundo a pesquisa, o ronco é a terceira causa mais comum de divórcio nos Estados Unidos e no Reino Unido, perdendo apenas para os quesitos adultério e questões financeiras. Além disso, também está no começo da tabela de classificação quando o tema são os “comportamentos não-toleráveis” que levam a separação.

Segundo a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), o ronco atinge de 40% a 60% da população adulta e muitos não sabem que sofrem desse distúrbio e, por isso, muitas vezes são levadas ao consultório pelo cônjuge.

“O ronco é o ruído gerado pela vibração, ocasionada pelo ar, de estruturas das vias aéreas superiores, que pode prejudicar o paciente e seus parceiros. Sinusite, amígdalas aumentadas, obesidade, desvio de septo e queixo retraído são algumas causas do ronco”, explica o otorrinolaringologista da Clínica Dolci em São Paulo e professor da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, Dr. Ricardo Landini Lutaif Dolci.

Além disso, o ronco muitas vezes pode evoluir para a apneia, um estágio mais avançado do problema que interrompe a respiração por alguns segundos durante o sono. Esse problema quando não tratado pode afetar o dia a dia e provocar outros problemas de saúde mais graves, tais como: hipertensão, insuficiência e arritmia cardíacas e derrame.

Roncar não é normal. Por isso, se alguém costuma reclamar que você ronca, leve a queixa a sério e procure um otorrinolaringologista. “O tratamento depende muito de cada caso e vai desde a perda de peso, aparelhos intra-orais, CPAP, cirurgia ou até outras terapias”, finaliza Dolci. Por isso, antes de tomar qualquer atitude que envolva a saúde do seu corpo converse com um especialista para saber qual o método mais adequado para seu organismo.

Fonte: Notícias ao Minuto


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Curiosidades