OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 3,851 Arapiraca, 26ºC Estrelado

Notícias

24/05/2019 11:21
Economia
Pilotos e comissários da Avianca retomam greve nesta sexta-feira
Paralisações programadas para acontecer nos aeroportos de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) devem impedir 33 voos de decolar até domingo
Sindicato diz que greve visa a "segurança de todos" / Foto: Suamy Beydoun/Aig/Folhapress

 Os pilotos e comissários da Avianca Brasil decidiram retomar a greve a partir desta sexta-feira (24) nos aeroportos de Congonhas (São Paulo) e Santos Dumont (Rio de Janeiro). A paralisação, definida pelos funcionários em assembleia, tem como motivação o não recebimento dos salários e outras verbas trabalhistas.

De acordo com o (Sindicato Nacional dos Aeronautas), a greve "tem como base a segurança de voo de todos" e seguirá por tempo indeterminado, até que a Avianca dê uma resposta para as reivindicações da categoria.

Até domingo (26), a paralisação deve impedir 33 voos de decolar nos dois aeroportos, sendo 13 nesta sexta-feira, 10 no sábado (25) e outros 10 no domingo (26).

O SNA afirma que os cancelamentos respeitam a liminar concedida pelo Tribunal Superior do Trabalho em favor da Avianca, que determina que os tripulantes devem manter 60% do contingente da empresa durante a greve.

Além dos salários, o sindicato destaca que os pilotos e comissários da empresa aérea estão sem receber diárias de alimentação e vale-alimentação, além de dois meses sem depósitos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

"Não existe nenhuma perspectiva de que os pagamentos venham a ser feitos, dado o quadro pré-falimentar da empresa", afirma o SNA, que lembra a demissão de 900 tripulantes da Avianca na semana passada.

O R7 procurou a Avianca para saber como devem proceder os passageiros que já possuem passagens para um dos voos que não devem decolar, mas não obteve resposta até o fechamento desta reportagem.

Fonte: R7


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Economia