OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 4,121 Arapiraca, 27ºC Chuvas esparsas

Notícias

12/06/2019 12:17
Mundo
Ataque de mísseis deixa dezenas de feridos em aeroporto da Arábia Saudita
O míssil atingiu o saguão de desembarque do aeroporto, que é usado em rotas domésticas e regionais, e deixou 26 pessoas feridas. Grupo houthi, do Iêmen, reivindicou a autoria
/ Foto: AFP
Redação com G1

Um ataque de mísseis comandado por forças houthis iemenitas nesta quarta-feira (12) ao aeroporto de Abha, na Arábia Saudita, deixou 26 feridos, informou a agência de notícias Reuters.

Entre os atingidos estão três mulheres e duas crianças, de nacionalidades saudita, iemenita e indiana, disseram as autoridades. Oito pessoas foram hospitalizadas e as outras têm machucados leves.

O reino árabe e os rebeldes houthis são adversários no conflito do Iêmen, que começou há cerca de 5 anos e já causou uma crise humanitária no país. Os houthis são, por sua vez, alinhados com o Irã.

Para a coalizão militar liderada pelos sauditas no Iêmen, o ataque de quarta (12), que poderia vir a ser um crime de guerra, provou o apoio do Irã ao que chamou de terrorismo através das fronteiras. Em comunicado, afirmou que vai responder de forma "firme" ao ato.

A autoria do ataque foi reivindicada pelos houthis em seus canais de mídia. O Irã não se pronunciou imediatamente. O país persa recebe, nesta quarta-feira, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, que tenta mediar as tensões no Golfo entre iranianos e os Estados Unidos.

De acordo com o comunicado da coalizão, o míssil atingiu o saguão de desembarque do aeroporto, que é usado em rotas domésticas e regionais e fica a cerca de 200km da fronteira da Arábia Saudita com o Iêmen.

O tráfego aéreo funciona normalmente, segundo informou à Reuters o órgão de aviação civil do reino árabe.

Já o centro de mídia houthi afirmou que o míssil destruiu a torre de controle. O porta-voz da coalizão não respondeu imediatamente a um pedido de comentário e a Reuters não pôde verificar a alegação de forma independente.

Um porta-voz militar do grupo iemenita disse que o ataque de quarta (12) foi uma resposta aos "crimes" da coalizão contra o Iêmen. "Os sistemas americanos mais modernos não conseguiram interceptar o míssil", afirmou em comentários feitos pelo centro de mídia do grupo. 


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Mundo