OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 3,861 Arapiraca, 26ºC Estrelado

Notícias

25/05/2019 08:45
Mundo
Homem retira maior tumor cerebral da história após 20 anos
Caso ocorreu na Índia e envolveu 10 horas de cirurgia; massa começou a impedir homem de mexer o pescoço, que não procurava médico por trauma
Tumor de 11 kg levou Sakthivel ao isolamento; ele tinha medo de cirurgia / Foto: Reprodução/Twitter

 Um homem na Índia teve um tumor cerebral retirado após 20 anos. A massa tinha 11 kg, de acordo com a agência de notícias britânica SWNS. Trata-se do maior tumor cerebral já registrado, ainda segundo o site.

O homem de 31 anos foi identificado apenas como Sakthivel, morador de Dindigul, que fica a 2.500 km da capital Nova Delhi. Ele teria percebido o crescimento anormal em sua cabeça desde jovem, mas não teria procurado atendimento médico por duas razões: falta de dinheiro e trauma, já que seu irmão teria morrido durante uma cirurgia.

O problema levou Sakthivel ao isolamento. Mas, há dois meses, o tumor começou a impedir que ele mexesse o pescoço. Foi então que decidiu procurar ajuda.

O procedimento foi liderado pelo neurocirurgião J. Srisaravanan em Madurai, uma cidade maior que Dindigul localizada no mesmo Estado, de Tamil Nadu, e considerado complexo. Levou 10 horas, necessitou de transfusão de sangue e envolveu uma equipe de seis médicos.

"O tumor era quase do tamanho da cabeça. Nunca tinha visto um tumor tão grande em 15 anos de carreira como neurologista", afirmou o médico à agência.

A operação foi bem-sucedida e o paciente está se recuperando bem.

A suspeita é que se trata de um meningioma, o tumor cerebral mais comum, benigno, que cresce lentamente ao longo de muitos anos.

O meningioma surge das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Segundo dados da clínica Mayo, nos Estados Unidos, embora não seja tecnicamente um tumor cerebral, está incluído nessa categoria porque pode comprimir o cérebro, nervos e vasos, causando incapacidade grave.

É mais comum em mulheres em idades mais avançadas. As causas ainda são desconhecidas, mas os principais fatores de risco são a ação dos hormônios femininos, tratamento com radiação, transtorno hereditário do sistema nervoso e obesidade, de acordo com a clínica Mayo.

Fonte: R7


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Mundo