OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-9672-7222 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 3,724 Arapiraca, 32ºC Tempo nublado

Geral / Isve Cavalcante

Quem é Isve Cavalcante? Isve Cavalcante é radialista desde 1971. Ele nasceu na cidade de Caruaru, município de Pernambuco. Já trabalhou em várias rádios, prefeituras e emissoras de televisão. Atualmente apresenta o programa “Show de Notícias” na Rádio 96 FM Arapiraca.
23/05/2018 14:42:56
Há 40 anos, Diego Maradona era cortado da Copa na Argentina
Menotti não levou o jovem Maradona, então com 17 anos, para a Copa de 1978 Reprodução/Youtube / Foto:

 C/R7

Diego Armando Maradona já era o “El pibe de oro” (menino de ouro) dos torcedores argentinos em 1978, quando o país sediou a 11ª Copa do Mundo.

O craque havia sido convocado pela primeira vez para a seleção principal um ano antes, aos 17 anos.

Na estreia, ele participou da goleada por 5 a 1 sobre a Hungria em um amistoso internacional.

Maradona chegou a ser chamado pelo técnico da seleção argentina, César Luís Menotti, em uma pré-convocação.

Mas foi cortado no dia 21 de maio de 1978, dias antes do Mundial. O treinador precisava levar 22 atletas e não incluiu o nome então garoto na lista final.

''Errei ao não levá-lo, mas depois fomos campeões e ninguém disse nada'', admitiu o treinador em entrevista à Rádio Mitre, de Buenos Aires, no ano passado.

Antes, Menotti costumava dizer que “precisava de homens, mas olhava para Maradona e enxergava um menino”.

O ídolo nunca escondeu a mágoa por não ter feito parte do time que conquistou o primeiro título mundial da história argentina — na final, disputada no Estádio Monumental de Nuñez, os donos da casa venceram a Holanda por 3 a 1.

Maradona disputou sua primeira Copa em 1982, na Espanha – quando a Argentina foi derrotada pelo Brasil.

Em 1986, levou o país ao título após vencer a Alemanha na final.

Mas foi na vitória por 2 a 1 sobre a Inglaterra, em jogo válido pelas quartas de final do torneio, que Maradona se consagrou.

O craque abriu o placar do duelo com um gol de mão – ele subiu para tocar de cabeça, desviou a bola com o braço esquerdo, mas a irregularidade não foi notada pela arbitragem. O lance foi eternizado como “La Mano de Dios” (A Mão de Deus).

Na mesma partida, com os argentinos já em vantagem, Diego arrancou do meio de campo, driblou vários defensores ingleses, passou pelo goleiro e chutou para fazer um dos gols mais belos da história do futebol.

 

 

 

 

 


Link da página:
O portal Diário Arapiraca não se responsabiliza pelos conteúdos publicados nos blogs dos seus colaboradores.

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Isve Cavalcante