OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-8225-0863 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 4,183 Arapiraca, 23ºC Tempo nublado

Editorias

07/12/2019 14:05
Esporte
Comoção em azul e branco: Torcedores do CSA se despedem do CT do Mutange
Azulão terá que se deslocar para um local ainda indefinido pela diretoria maruja
Comoção em azul e branco: torcedores do CSA se despedem do CT do Mutange / Foto: Felipe Nyland/Gazetaweb

"No Mutange, eterno vencedor". Este verso do hino do CSA foi entoado por cerca de 200 torcedores, que estiveram presentes no treino aberto de "despedida" do CT Gustavo Paiva, neste sábado (7). Embora o sentimento fosse de perda, os azulinos aproveitaram o momento para recordar histórias, estreitar laços com os jogadores que vestiram a camisa do clube no ano e agradecer a terrinha, casa maruja há 97 anos.

"Eu me criei próximo ao Mutange e a situação em que se encontra o bairro é muito triste. Eu não poderia deixar de vir ao último trabalho aberto ao público no CT, é muito importante", falou Flávio Bastos, de 45 anos.

Flávio tem um apego grande ao CSA, mas também por influência do filho de 13 anos, que atende pelo mesmo nome. "Apesar de eu ser azulino desde pequeno, eu não me inteirava com o clube diariamente, e depois que ele nasceu e começou a tomar gosto pelo CSA, cresceu em mim esse desejo de estar com ele e o Azulão". Flavinho, em poucas palavras, disse: "desde sempre acompanhei o CSA e não vou deixar".

A evacuação do CT do Mutange é colocada como emergencial pela Defesa Civil. Desde que apareceram as primeiras rachaduras no bairro do Pinheiro, no inverno de 2010, os moradores das localidades viviam um tormento. Em novembro deste ano, uma reunião entre Defensoria Pública de Alagoas, Ministério Público e Braskem apontou a necessidade de retirada de aproximadamente 400 famílias da localidade.

Entre os moradores está Vanessa Santos, de 39 anos, que nem sequer torce para o CSA, mas esteve no local para prestar solidariedade ao "morador" mais simbólico do bairro. "Não sou azulina, mas boa parte da comunidade é, então vemos o amor deles pelo CSA. O sentimento de poder acompanhar os treinamento há anos, de ter o contato direto com o clube e hoje perder tudo. Quando pensamos na problemática, pensamos que é apenas a retirada dos moradores, mas não é, tem a história por trás disso. Estão brincado com vidas".

A residência de Vanessa está localizada na denominada "mina 17", entre o Mutange e Pinheiro, um dos lugares mais afetados pela extração de sal-gema feita pela Braskem. Segundo ela, a casa está avaliada em 90 mil e não tem nenhum direcionamento ou resposta da mineradora sobre a indenização.

Em 97 anos de história, o CT reúne muitas histórias, que acabam se misturando à vida de funcionários do clube. É o caso do segurança Dino Santos, de 38 anos, que está profundamente sentido por deixar o local após 12 anos de uma rotina quase diária.

"Vi de tudo aqui no Mutange. Vivi muitas coisas boas e outras ruins. Durante um período não tivemos nada, apenas o Campeonato Alagoano a disputar, e agora com o clube no auge, acontece algo desta forma. A gente fica triste, machucado", pontuou.

Matematicamente rebaixado à Série B de 2020, o CSA se despede do Brasileirão contra o São Paulo, neste domingo (7), às 16h, no Estádio Rei Pelé. Largar a rotina dos grandes clubes do Brasil também vai deixar saudade no "cão de guarda azulino", que esteve presente com a delegação em todas as viagens da equipe pela Série A.

"Para quem viveu uma segunda divisão do Alagoano, estar na Série A é algo absurdo. Fiquei nos melhores hotéis, conheci muita gente importante, estruturas de dar inveja a qualquer clube do mundo. No jogo contra o Flamengo em Brasília, meu irmão, o estafe do clube é impressionante. Foi uma troca muito boa de experiência e trouxe muitas coisas legais para o CSA", lembrou Dino.

Matematicamente rebaixado à Série B de 2020, o CSA se despede do Brasileirão contra o São Paulo, neste domingo (7), às 16h, no Estádio Rei Pelé. Largar a rotina dos grandes clubes do Brasil também vai deixar saudade no "cão de guarda azulino", que esteve presente com a delegação em todas as viagens da equipe pela Série A.

"Para quem viveu uma segunda divisão do Alagoano, estar na Série A é algo absurdo. Fiquei nos melhores hotéis, conheci muita gente importante, estruturas de dar inveja a qualquer clube do mundo. No jogo contra o Flamengo em Brasília, meu irmão, o estafe do clube é impressionante. Foi uma troca muito boa de experiência e trouxe muitas coisas legais para o CSA", lembrou Dino.

Nesta sexta-feira (8), o presidente Rafael Tenório afirmou que o clube construirá um novo CT em Rio Largo, região metropolitana de Maceió. No entanto, a equipe precisa iniciar a pré-temporada no dia 6 de janeiro de 2020 e nisso, precisará ocupar algum "pronto".

Nesta condição, o Mutange volta a ser opção. "Temos menos de um mês para decidir isso. Esta semana nos reuniremos com representantes da Braskem para ter noivas informações sobre repasse, até sobre a própria condição do solo. Mas, provavelmente, devamos inciar a pré-temporada aqui mesmo", disse.

Ao término do rachão, após a saudação dos jogadores à torcida, desceu das arquibancadas a tradicional charanga. Entre uma música e outra, a "marchinha" que dizia "Está chegando a hora" dava o choque de realidade ao azulino, abrindo o olho do cidadão e escancarando a verdade: o tempo do Mutange chegou ao fim, era hora de ir embora.

Veja o vídeo?  

Vídeo: Gazetaweb

Fonte: Gazetaweb


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Esporte