OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-8225-0863 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 5,564 Arapiraca, AL 27ºC Tempo nublado

Editorias

11/09/2020 09:00
Esporte
Surfista brasileira obtém recorde de maior onda já surfada por mulher
Maya Gabeira conseguiu surfar onda de 23,5 metros, a maior já surfada por atleta feminina no mundo e maior surfada até agora em 2020
Recorde anterior também era da brasileira Maya Gabeira / Foto: Reprodução/Instagram

 A World Surf League (WSL, na sigla em inglês) anunciou nesta quinta-feira (10) que a brasileira Maya Gabeira estabeleceu um novo recorde mundial para a maior onda já surfada por uma mulher. Ela aumentou o seu próprio recorde de 20 metros (68 pés) para 23,5 metros (73,5 pés).

O feito foi conquistado no mesmo local de ondas gigantes do recorde anterior, a Praia do Norte, em Nazaré, cidade de Portugal, no dia 11 de fevereiro de 2020, como parte do evento inaugural do Nazaré Tow Surfing Challenge da World Surf League. Embora as divisões masculina e feminina sejam separadas para esta categoria, a onda de Gabeira também ultrapassou o recorde masculino do cbdMD XXL Biggest Wave, que foi vencido por Kai Lenny e mediu 21 metros (70 pés).

"Esta onda foi durante o campeonato (WSL Nazaré Tow Surfing) e, apesar de achar que não sou uma pessoa competitiva, eu estava muito concentrada e mais corajosa do que o normal neste dia", afirmou Gabeira. "Eu estava arriscando bem mais e, quando larguei a corda (do jet-ski), tive a sensação de que poderia ser a maior onda da minha vida, mas não tinha certeza. A velocidade era muito alta e o barulho que a onda fez quando quebrou, me fez perceber que esta era provavelmente a maior onda que surfei", completou.

"Este recorde mundial é realmente surpreendente porque o tamanho da onda foi mais alto até do que a onda do vencedor masculino, então isso significa que uma mulher surfou a maior onda do ano no geral", continuou Gabeira. "Isso, para mim, era algo que eu havia sonhado anos atrás, mas não como algo realista. Não houve representação para eu acreditar que era possível. Eu apenas pensei que era tão irreal, mas ver isso acontecer foi incrível. Esse é um esporte extremamente dominado pelos homens, então ter uma mulher capaz de representar isso é bastante raro".

Em uma das batalhas mais acirradas na história do BWA, a onda da Gabeira mediu apenas 2 a 3 pés a mais do que a onda surfada pela francesa Justine Dupont no mesmo dia de competição, em 11 de fevereiro. A segunda onda indicada de Dupont foi no dia 13 de novembro de 2019, também em Nazaré.

"Estamos vivendo em um mundo totalmente diferente agora com a covid-19. Sinto-me grata por ter vivido intensamente aquele início de ano e poder realizar algo no esporte que este ano tem sido muito desafiador para nós atletas. Por algum motivo de sorte, 2020 ainda significará muito para mim", finalizou Gabeira.

Fonte: R7


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Esporte