OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-8225-0863 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 5,213 Arapiraca, AL 23ºC Tempo nublado

Editorias

18/06/2021 13:00
Geral
Pais permitem maus-tratos aos filhos em nome do relacionamento
A professora Cláudia Bittencourt afirmou que muitos pais deixam de proteger seus filhos por “amor” ao agressor.
Violência contra criança: 60% dos casos acontecem em casa / Foto: FREEPICS - 18.05.2020

 Onze crianças são negligenciadas ou agredidas por hora no Brasil. Esse dado foi divulgado pelo Disque 100, serviço de denúncias do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. Porém, segundo especialistas, o número pode ser ainda maior, porque muitas pessoas não denunciam. Além disso, o mais triste é que 60% das agressões acontecem dentro de casa.

Casos de pais, mães, padrastos e madrastas que batem e humilham as crianças têm sido cada vez mais comum nos noticiários. Isso porque a necessidade de ficar mais tempo em casa, devido à pandemia da Covid-19, agravou, ainda mais, a violência doméstica.

Debate necessário

O programa Fala Que Eu Te Escuto desta sexta-feira (18) abordou o tema e lembrou o caso de Ramira Gomes da Silva, de 22 anos, que matou o próprio filho, Bryan da Silva Otani, de 4 meses. Em depoimento à polícia, a mulher confessou que sufocou o filho enquanto ele dormia e alegou ter feito isso para o “bem-estar” do seu relacionamento.

“Nós temos que cuidar das nossas crianças. Já foi a época que os pais cuidavam das crianças. Hoje a violência está dentro da própria casa e isso vem aumentando”, observou o apresentador, Bispo Eduardo Bravo.

Assim, questionou os espectadores se muitos demoram a tomar alguma atitude por medo, amor ao companheiro agressor ou falta de provas. “Quando se trata de criança, ela não tem como se defender. Muitas vezes, a criança pede ajuda e o pai ou a mãe não acreditam”, acrescentou o pastor Guilherme Grando.

A professora Cláudia Bittencourt afirmou que muitos pais deixam de proteger seus filhos por “amor” ao agressor. “Os pais que deveriam dar proteção, muitas vezes se omitem. Nenhuma justificativa é plausível. Ninguém pode ter medo de denunciar quando presencia uma criança ser ameaçada ou espancada. Não podemos aceitar uma atitude dessa com um ser inocente. Quem diz que permitiu uma criança ser agredida para ‘preservar uma relação’ é doente. Mas, infelizmente é comum acontecer isso”.

Importância da denúncia


Os especialistas orientam que casos de agressão contra crianças sejam denunciados imediatamente às autoridades locais. O Disque 100 é o canal de denúncias oficial do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e recebe denúncias anônimas de qualquer violação de direitos humanos. O Conselho Tutelar também pode ser um caminho para proteger os menores da violência.

A advogada Isabel Quintella, representante do movimento Escolas Abertas, revelou que apesar de existir diferentes canais para denúncia, neste ano de pandemia, com o fechamento das escolas, houve uma queda muito grande nas queixas de agressão domiciliar infantil. “Os casos aumentaram, mas as denúncias caíram, porque as escolas no Brasil exercem um papel social importante no que se refere a violência contra as crianças. Os profissionais da educação auxiliam nessas denúncias porque as crianças confiam neles para pedir ajuda”.

O deputado federal Roberto Alves, presidente da Frente Parlamentar Contra o Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescente na Câmara, também participou do programa e reforçou que as crianças precisam de mais proteção. “Esse tema é muito importante. As crianças são o futuro do nosso país e não podemos aceitar nem ficar calados quando sabemos que uma criança é vítima de algum tipo de violência. As pessoas precisam deixar de pensar que se denunciarem nada será feito. Providências são tomadas sim! É muito importante que os pais levem a sério quando as crianças falam que estão sofrendo algum tipo de abuso”.

Fonte: R7


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Geral