OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-8225-0863 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 4,822 Arapiraca, AL 23ºC Chuva

Editorias

10/12/2021 10:11
Polícia
Pornografia Infantojuvenil: PF cumpre mandados em AL contra quadrilha
Mandados são cumpridos em Maceió, Rio Largo, Igaci e Pariconha
/ Foto: Assessoria PF
Jânio Barbosa com PF

A Polícia Federal em Alagoas cumpriu na manhã desta sexta-feira, 10/12, 04 (quatro) Mandados de Busca e Apreensão no Estado de Alagoas durante a deflagração da Operação LABATUT, que investiga o armazenamento e a disseminação de vídeos com cenas de pornografia infantojuvenil pela Internet, bem como o assédio sexual de crianças e adolescentes por meio de redes sociais e aplicativos de mensagens.

Os mandados estão sendo cumpridos nas cidades alagoanas de Maceió, Rio Largo, Igaci e Pariconha.

As investigações realizadas pela Polícia Federal identificaram que os suspeitos estariam utilizando a Internet para praticar abusos sexuais contra crianças e adolescentes de diferentes formas.

Duas pessoas são suspeitas de participar de grupos de aplicativos de mensagens criados para a difusão, compartilhamento e possível produção de vídeos pornográficos envolvendo crianças e adolescentes.

Uma pessoa é investigada por utilizar programas de compartilhamento para baixar e compartilhar arquivos de pornografia infantil, e outro indivíduo é suspeito de utilizar as redes sociais para compartilhar arquivos de pornografia infantil e assediar sexualmente menores, solicitando o envio de “nudes”.

Durante as buscas, policiais federais apreenderam HD’s de computadores, notebooks, pen drives e smartphones que serão periciados pela Polícia Federal. Os resultados das análises dos materiais apreendidos serão juntados aos inquéritos policiais que apuram crimes previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.

Caso seja confirmada a posse e o compartilhamento de imagens contendo pornografia infantil, os investigados poderão responder pelos crimes previstos nos artigos 241-A e 241-B da Lei 8.069/90 (Estatuto da Criança e do Adolescente). As penas somadas para esses crimes podem chegar a até 10 (dez) anos de prisão. E caso seja identificada a produção de vídeos pornográficos envolvendo menores de idade, o responsável será indiciado também no crime de estupro de vulnerável cuja pena máxima varia entre 15 e 30 anos de prisão.


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Polícia