OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-8225-0863 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 4,197 Arapiraca, 30ºC Tempo limpo

Editorias

06/11/2019 08:15
Política
Joice chora ao detalhar ataques virtuais e ganha apoio até da oposição
A parlamentar ainda fez críticas a Jair Bolsonaro (PSL), embora tenha destacado seu "respeito" pelo presidente
Joice chora ao detalhar ataques virtuais e ganha apoio até da oposição / Foto: RENATO COSTA /FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) se emocionou nessa terça-feira (05), na Câmara, ao falar sobre ataques que estaria recebendo nas redes sociais e que, segundo ela, já chegaram a seus familiares. Posteriormente, ela recebeu apoio de parlamentares de seu próprio partido, como o Delegado Waldir (PSL-GO), e até de siglas de oposição, como Orlando Silva (PCdoB-SP), Alice Portugal (PCdoB-BA) e Perpétua Almeida (PCdoB-AC).

"Peço que me desculpem a emoção, mas quando meu filho entrou nessa história o coração não aguenta. Mesmo embaixo desse couro duro existe um coração de mãe", disse ela. "Quando meu filho perguntou: 'Por que estão fazendo isso com você?', eu respondi: 'Porque há criminosos'".

"Eu tenho dois filhos, uma jovem e um adolescente. Nenhum de vocês sabe qual é o rosto dos meus filhos. Por quê? Porque eles também já foram ameaçados de morte. Eu tive de me privar da companhia deles muitas vezes. O meu mais novo, semana passada, me disse: 'Mãe, por que estão chamando a senhora de 'porca' na internet? Por que estão chamando a senhora de 'pig' na internet? Não foi a senhora que ajudou tanto esse governo?'. E eu vou dizer para vocês que essas lágrimas não são por mim, porque, como vocês bem puderam ouvir, a minha história é de uma guerreira", afirmou Joice.

 

"Mas o meu filho de 11 anos recebendo montagens minhas, com meu rosto e o corpo de uma prostituta? Com meu rosto e um corpo deformado nu? Isso eu não vou admitir. Não vai ter homem com mandato ou sem mandato, seja o que for, deputado, senador, presidente, não me interessa! Não vai ter homem, nem mulher, que vai fazer isso com a minha família. Se nós não paramos essa esquizofrenia, essa gangue, não tem como reconstruir esse Brasil", disse.

"Não é uma questão de corporativismo feminino. É uma questão de decência. Eu nunca fui de me vitimizar, nunca. Mas foi a primeira vez que eu realmente me senti vítima do mais sujo machismo, do mais sujo machismo. Encomenda de dossiês falsos, montagens... A minha família não vai passar por isso. Eu não vou permitir. Se não tivessem mexido com a minha família, talvez eu até amenizasse. Mas não o farei", completou Joice.

"Alguém realmente acha que eu, Joice Hasselmann, que não tenho absolutamente nada como devedora de ninguém, vou ter medo de um grupo que forma uma gangue virtual para me atacar? Alguém realmente acha que depois de tudo o que eu passei, com a infância que vivi, sofrendo como o diabo, mas sempre com a proteção de Deus, alguém acha que vou ter medo de cara feia? Que vou ter medo de marmanjo?", questionou.

A parlamentar ainda fez críticas a Jair Bolsonaro (PSL), embora tenha destacado seu "respeito" pelo presidente: "A presidência da República é muito maior do que o puxadinho da cozinha de qualquer pessoa. Um presidente da República representa a todos, até aqueles que não votaram nele. (...) É possível resgatar a sanidade mental da nossa política brasileira".

 

"Eu tenho um respeito ainda profundo pelo presidente da República pela história dele. Não concordo com muita coisa que ele está fazendo, com parte da postura do presidente. Acho que ele se apequenou em alguns momentos na cadeira, e isso é triste para mim. Quando e comecei a fazer campanha pelo presidente, ele tinha 76% de rejeição entre as mulheres", disse Joice.

"Eu avalizei essa candidatura e esse candidato, e eu quero que o governo dele dê certo. Porque é o Brasil! Eu vou ajudar em tudo que for correto, mas não vou tolerar nenhum tipo de afronta, nenhum tipo de crime, nenhum tipo de calúnia, seja virtual ou não, de quem quer que seja, nem do filho do presidente da República. Levarei o senhor Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ao Conselho de Ética e à PGR. Se eu conseguir ajudar a frear esse caos, eu já fico muito feliz. (...) E quando os investidores olham o caos aqui dentro? A República da 'filhocracia'. A República do Twitter, uma crise atrás da outra", afirmou.

Parlamentares de diferentes partidos apoiam Joice
Delegado Waldir (PSL-GO)

"A minha amiga Joice ali, brilhando que nem ouro. Uma mulher espetacular, guerreira. Eu sou testemunha, Joice, do papel que você teve fundamental na mudança deste país. Na sua posição de direita, na sua posição conservadora, na sua posição de defesa da família. (...) Muita gente está omitindo muita coisa. (...) Estão nos atacando, cuspindo no prato em que comem. É uma pena a ingratidão, a deslealdade. Isso não tem preço. O tempo vai dizer quem fala a verdade. O tempo vai cuidar de colocar tudo no lugar. (...) Hoje, Joice, eu e você somos hienas. Que delícia! O tempo vai dizer se o leão que ruge é aquele leão que come a própria carne. Come a própria carne e a dos seus. Se ele faz autofagia. Nós vamos saber daqui a pouco."

Orlando Silva (PCdoB-SP)

"Eu acompanhei a manifestação da deputada Joice Hasselmann. Quero me solidarizar com todas as ameaças, provocações e ataques que ela sofreu. Eu sou daqueles que creem que a política é o lugar do entendimento, do diálogo. Aqui conosco, deputada, a senhora poderá encontrar adversários muitas vezes, que defendem teses contrárias às que a senhora defende. Mas nunca a trataremos como inimigo ou inimiga. O Brasil precisa romper com este ciclo. A política não tem mais adversários, tem inimigos. É muito importante que a reflexão que Vossa Excelência fez na tribuna sirva para inspirar o combate à cultura do ódio. Ódio que não é da natureza do povo brasileiro. O povo brasileiro é tolerante, lutador, guerreiro, batalhador, com convicções, mas longe do Brasil esta cultura do ódio que, de repente, tomou conta da política e do nosso país. Eu lamento, deputada Joice, que seja do vosso partido o presidente da República que se transformou em um líder de facção. Não tem atitude, estatura de líder político de uma nação do tamanho do Brasil. Eu espero que a reflexão de Vossa Excelência sugira que este senhor mude sua postura e saiba que o Brasil é muito maior do que um partido, muito maior do que o governo."

Julian Lemos (PSL-PB)

"Quem te apoia, Joice, é a verdade. Nunca, na história deste país de fato, houve tamanho ataque de machismo. Eu não digo machismo, eu digo falta de escrúpulos. Na página de um filho de um presidente, não havia uma figura de 'Peppa', mas sim de uma porca com biquíni. Isso é uma violação à essência da mulher. Não sei como eu me comportaria se isso fosse feito com uma filha ou esposa. Não teria temperamento para debater aqui. A história condena os covardes, mas absolve os bravos."

Celso Sabino (PSDB-PA)

"Esse plenário, agora, se rende a aplausos de Vossa Excelência. Venho cumprimentar pelo discurso sóbrio e em solidariedade não só à mulher e à mãe de família, mas principalmente à deputada que ocupa assento nesta casa. Ninguém merece passar pelos ataques que Vossa Excelência vem passando."

Fonte: UOL


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Política