21/08/2019 08:00:17
Mundo
Pai manda matar genro por homem ser de casta de 'intocáveis'
Assassinato aconteceu menos de um mês após casamento; Família da noiva se opunha ao relacionamento, que foi mantido em segredo por anos
ReproduçãoHomem era de casta considerada 'intocável'

 Um homem rico na Índia mandou matar o genro menos de um mês depois do casamento porque o homem pertencia a uma casta inferior.

Segundo o jornal americano The Washington Post, Pranay Perumalla foi atingido no pescoço e na cabeça por uma faca de açougueiro em 2018.

A família da noiva, Amrutha Vasrhini, se opunha ao relacionamento dos dois. O sistema de castas determina em qual substrato social uma pessoa pertence desde o nascimento. Apesar de ter sido banido em 1948, a sociedade conservadora continua acreditando no sistema, que é importante principalmente para casamentos.

Perumalla era da casta Dalit, que antigamente era conhecida por ser “intocável”. Os indianos evitavam conversar e se relacionar com essas pessoas. Varshini pertencia a uma família rica, que encarava o relacionamento dos dois como uma humilhação pública. Isso motivou o pai, T Maruthi Rao, a contratar um assassino para matar o genro.

O casal se conheceu na escola e Amrutha disse que o pai a agredia por ela interagir com o rapaz. Os dois decidiram manter o relacionamento secreto por anos e queriam deixar o país e seguir para a Austrália depois de casados, mas a ideia deu errado porque a mulher engravidou.

“Eu posso casar você com um mendigo que pertença a uma casta superior”, teria dito o pai de Amrutha, segundo o jornal americano. “Mas eu não quero que você se case com alguém de uma casta inferior, independente de quem seja”.

Segundo arquivos do julgamento, T Maruthi Rao teria pago US$ 150 mil, cerca de R$ 1 milhão, pelo assassinato do genro. O homem está aguardando julgamento, que começa em setembro, e está em liberdade após ter pago fiança.

Fonte: R7

E-mail: redacao@diarioarapiraca.com.br
Telefone: (82) 9-9672-7222

©2019 - Diário Arapiraca | Portal de Notícias. Todos os direitos reservados.