OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-8225-0863 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 4,142 Arapiraca, 24ºC Tempo nublado

Notícias

25/10/2018 09:51
Eleições
Delegado diz que ex-reitor da Uneal não foi agredido por eleitor de Bolsonaro
Em vídeo, Clébio aparece alterado, falando palavrão e estapeando o celular para impedir que fosse filmado. Assista!
Professor e ex-reitor da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Clébio Correia de Araújo / Foto: Assessoria
Redação

Um caso envolvendo o professor e ex-reitor da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Clébio Correia de Araújo, e um eleitor de Bolsonaro que pediu que sua identidade fosse preservada, foi assunto em todos os sites de notícias e grupos de WhatsApp na noite dessa quarta-feira (24). O repórter Mitchel Torquato, da Rádio 96fm, ainda na noite de ontem (24), conversou com os envolvidos e com o delegado que recebeu a denúncia, Igor Rafael, para esclarecer a população o que de fato aconteceu.

“Não foi constatada nenhuma ameaça, nem lesão corporal, agora a lei eleitoral não permite que servidores públicos utilizem o interior de um espaço público para beneficiar partido, candidato ou coligação, isso é um ilícito eleitoral e cabe representação ao Ministério Público Eleitoral e a Justiça Eleitoral”, explicou o delegado.

De acordo com o que foi divulgado inicialmente, o eleitor teria agredido o ex-reitor nas dependências da Universidade, localizada no bairro Alto do Cruzeiro, em Arapiraca, Agreste de Alagoas, pelo fato de Clébio não permitir que ele lhe filmasse. Mas de acordo com o que foi informado ao delegado, o foco era um seminário que discutia a defesa da Universidade e da democracia, que reuniu pessoas com adesivos do Partido dos Trabalhadores, camisas do presidiário e ex-presidente Lula e outros acessórios que indicavam um ato pró-Haddad.

“Fui lá para gravar e denunciar para o TRE um movimento partidário dentro de uma Universidade, a minha única arma era o meu celular, que eles tentaram tomar e até chegaram a derrubar o aparelho no chão”, contou o eleitor durante conversa com Mitchel na delegacia. “Eles [petistas] são intolerantes, pregam discurso de ódio por parte da oposição, mas agridem quem pensa diferente”, disse.

O professor Clébio também conversou com o repórter da 96 e disse que ele próprio quem chamou a polícia porque queria saber por quem tinha sido agredido. Mas, como informado inicialmente, durante a análise dos fatos foi verificado que o cidadão não agrediu ninguém, mesmo quando o ex-reitor, incomodado, ficou estapeando o celular até o aparelho cair no chão e ele tentar apagar as imagens. “Foi quando começou o tumulto e a Polícia Militar foi acionada”, contou o delegado.

Inclusive, em um vídeo que circula nas redes sociais, é possível ouvir a pessoa que grava pedindo para que o ex-reitor tirasse a mão, que aquilo era crime eleitoral. Clébio, exalado, responde com palavrão, chega a estapear o celular e tenta avançar, mas é segurado por colegas. Assista:

As partes foram ouvidas e a ocorrência registrada. O Termo Circunstanciado de Ocorrência fica à disposição da justiça para caso queira, posteriormente, apurar se houve ilícito penal. 


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Eleições