OUÇA AO VIVO A 96FM
(82) 9-8225-0863 Whatsapp Diário Arapiraca
Dólar hoje R$ 5,445 Arapiraca, AL 28ºC Parcialmente nublado

Notícias

15/09/2020 11:42
Mundo
Médica denuncia China por criar o coronavírus e esconder doença
Li-Meng sofreu ameaças e precisou fugir para os Estados Unidos
Li-Meng Yan denunciou esquema de acobertamento da covid-19 por parte da China / Foto: Reprodução

 Uma médica virologista chinesa, que vem trabalhando na linha de frente dos estudos sobre o novo coronavírus, denunciou que o vírus da covid-19 foi produzido em um laboratório mantido pelo governo chinês na província de Wuhan. Segundo Li-Meng Yan, as autoridades do país sabiam muito antes dos primeiros casos que a doença tinha grande potencial de propagação e ainda assim escondeu informações da comunidade internacional.

As revelações foram feitas ao programa britânico Loose Women recentemente.

Ainda segundo a cientista, os registros confirmam a origem artificial do vírus no genoma do microorganismo. Ela e um grupo de pesquisadores pretendem divulgar os estudos em breve.

– A sequência do genoma é como a impressão digital humana. Com base nisto, pode reconhecer e identificar esta coisa. Assim, utilizei as provas existentes na sequência do genoma de Sars-CoV-2 para dizer às pessoas porque é que isto veio da China, porque é que eles são os únicos que o fizeram – afirmou.

Ainda em seu relato, Li-Meng diz que fez duas investigações secretas por contra própria sobre o vírus da covid-19 na China. A primeira delas aconteceu entre 1º de dezembro e janeiro deste ano, ainda no início do contágio. A segunda foi feita em meados de janeiro.

A conclusão das investigações de Li-Meng levaram a crer que “este vírus não é da natureza”. De acordo com a virologista, o novo coronavírus é resultado de um experimento do Instituto Militar da China, que modificou artificialmente dois organismos, dando origem a um novo vírus, o causador da covid-19.

AMEAÇA DE SUPERIORES

Li-Meng denuncia também uma suposta omissão e até a tentativa de intimidação por parte de seu supervisor, que é consultor da Organização Mundial da Saúde (OMS). Após compartilhar os estudos com ele, para que fosse feita “a coisa certa em nome do governo chinês e da OMS”, a médica foi surpreendida com o aviso de que deveria “manter o silêncio ou então seria obrigada a desaparecer”.

A cientista contou ainda que a descoberta a obrigou a fugir para os Estados Unidos, onde ela compartilhou as informações com um grupo de cientistas. Ela afirmou que pretende divulgar em breve as conclusões dos estudos.

– Há dois relatórios, o primeiro virá dentro de alguns dias e informará as pessoas sobre as provas científicas. Qualquer pessoa, mesmo aqueles sem qualquer conhecimento de biologia, pode lê-lo – disse.

Em nota, o governo chinês negou todas as acusações de Li-Meng e disse que o país agiu contra a covid-19 assim que descobriu o problema.

Fonte: Pleno News


Link da página:

Utilize o formulário abaixo para enviar ao amigo.

Mundo